[Vigo] Crónica da concentraçom em apoio a Insumisa

Outra achega desde Vigo da concentraçom de ontem solidária coa Insumisa.

Ao redor de meia centena de solidarias concentrarom-se no dia de ontem na centríca rua de Príncipe em Vigo para apoiar as compas do CSO A Insumisa perante o recente despejo que venhem de sofrer

O ato foi convocado polos centros sociais de Vigo: CSO A Quinta da Carminha, Local Social Faísca, CSA Cova dos Ratos e Centros Social Revolta ainda que também acudirom solidarias desde outros centros sociais do sul como o Fuscalho (A Guarda) o Fresco (Ponte areias) ou a Casa Colorida (Nigram), amossando umha vez mais o compromisso entre os centros sociais galegos e levando a prática a consigna de se nos tocam a umha tocannos a todas.
A concentraçom estivo marcada polos constantes cánticos contra a Marea, contra a repressom policial, em favor da Insumisa e em prol da okupaçom.
Ao remate procedeu-se a leitura do manifesto assinado por perto de 20 centros sociais galegos em apoio ao coletivo corunhés, que adxuntamos a continuaçom:
COMUNICADO DE APOIO E SOLIDARIEDADE COM O CSO A INSUMISA

Os coletivos abaixo-assinados, integrantes do movimento popular galego e empenhados na construçom de espaços para a cultura contra-hegemónica queremos declarar o seguinte perante o iminente despejo do CSO A Insumisa:

1. A nossa solidariedade incondicional com o CSO A Insumisa, centro social ocupado da Corunha, com o qual trabalhamos em diversas iniciativas conjuntas, mostrando-se sempre como um coletivo comprometido com a construçom de alternativas ao embrutecimento e mercantilizaçom cultural dominantes.

2. O nosso apoio a todas as pessoas que participam deste centro social, e a todo o que ele representa, como verdadeiro motor da cultura de base e popular da cidade

3. A nossa condena à política de perseguiçom policial e mediática contra iniciativas nom controladas pola institucionalidade burguesa, i em concreto ao governo do chamado “cambio” e que agora leva a porra e a pistola por diante em defessa da propriedade privada e instuicionalidade dos espaços autogeridos

4. O nosso compromisso no fortalecimento e na criaçom de espaços que permitam avançar na galeguizaçom e desmercantilizaçom da nossa cultura, em coordenaçom permanente com outras entidades comprometidas com idênticos objetivos nos mais diversos ámbitos: laboral, político, feminista, comunicativo, ambiental, etc.

5. Apelamos ao movimento popular galego à unidade e à autodefesa, construindo novas ferramentas ao serviço dos interesses do nosso povo, combatendo a manipulaçom informativa e a repressom judicial-policial.

Galiza, 24 de maio de 2018

Ateneo Libertário A Engranaxe (Lugo)

Centro Social A Comuna (Corunha)

Centro Social A Galleira (Ourense)

Centro Social A Gentalha do Pichel (Compostela)

Centro Social A Revolta (Vigo)

Centro Social Fuscalho (Guarda)

Centro Social Gomes Gaioso (Corunha)

Centro Social Madia Leva (Lugo)

Centro Social O Fresco (Ponte Areias)

Centro Social Autoxestionado do Sar (Compostela)

Centro Social Ocupado A Insumisa (Corunha)

Coletivo Terra (Pontedeume)

Fundaçom Artábria (Ferrol)

Local Social Faisca (Vigo)

CSA O Fervedoiro (Ribeira)

Associaçom Cultural O Quilombo (Pontevedra)

CSA Cova dos Ratos (Vigo)

CSOA A Quinta da Carminha (Vigo)

A Casa Colorida (Nigrám)

Deixa un comentario

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.